Tales of Phantasia corrige os erros de ToE

Ou melhor, corrige alguns e acrescenta outros.


Uma coisa em que ToP bate ToE é que aqui a apresentação da estória é mais rápida. Até pelo número menor de episódios(4 contra 13), Tales of Phantasia vai direto ao ponto em vez de ficar dando voltas e voltas. A animação também é melhor, embora o character design seja meio simplista, com poucas sombras. O enredo é quase o mesmo de ToE(adaptação de RPG uhu): andar pelo mundo procurando um meio de deter o Senhor dos Demônios, que foi recém-libertaod de seu selo. Mas em vez de viajar pelo mundo, os aventureiros viajam pelo tempo, para 100 anos no passado, para uma época onde o vilãozão estava mais fraco, mas ainda assim tocando o terror no mundo.

Um desenvolvimento até que interessante, em vez de sair pelo mundo procurando uma espada divina, ir para uma época que pode facilitar o trabalho. Não existem muitos que fazem isso, mas o enredo aqui ajuda totalmente nessa direção: Dhaos, o vilão, aparentemente está aí há milhares de anos, sempre vigiando a humanidade, e depois de chegar à conclusão de que os humanos não conseguem(ou não querem) entender aquilo que é estranho para eles, usando sempre de violência contra aquilo que lhes é desconhecido, ele decide exterminar todos as pessoas da Terra. E a curiosidade humana vai originar a criação do Magitech, uma arma incrivelmente destrutiva e que varreu do mapa a cidade de Midgard, justamente para onde os viajantes vão na viajem ao passado.


Depois de escapar dos heróis em Midgard, Dhaos agora vai para 50 anos no futuro, e a mesma história de antes de repete. Agora, os heróis sao convocados pelas pessoas do futuro em vez de ir por capacidade própria, porque aparentemente eles deteram Dhaos antes e podem fazer de novo sem problema. Aqui o primeiro problema fica evidente: é tudo fácil demais, muito conveniente. Chega um viajante do futuro para levar eles, e na cena seguinte eles já possuem as espadas mágicas necessárias para o ritual, tudo de mão beijada. Sinal de falta de criatividade.

Outro problema são os personagens.. Os mais bem desenvolvidos são os coadjuvantes(ou os “sub-protagonistas, o pessoal que acompanha a dupla principal). Não é uma falha focar nos personagens menores, mas priorizar a caracterização deles em detrimento da dos protagonistas é. Eu poderia perdoar Taes of Phantasia se não tivesse desenvolvido ninguém, mas foco ruim no desenvolvimento não tem desculpa. A não ser má direção. No final, o anime ainda comete um outro erro, adicionando uma personagem que não adiciona nada a estória(uma “participação especial” de uma personagem do jogo?). Você não consegue nem apresentar seus personagens principais decentemente, e inventa de ficar jogando gente nova do nada?


Enfim, Tales of Phantasia é curto demais prra qualquer acerto ter impacto demais ou pra qualquer erro ser desastroso o suficiente. É só um OVA de 4 episódios pra se aproveitar da fanbase de uma série de jogos. Deu sono assistir a isso, porque é terrivelmente desisnteressante. Eu estava em dúvida se conseguiria escrever um post sobre ele, de tão chato que é. A melhor qualidade de Tales of Phantasia é esquecível.

Anúncios
Esse post foi publicado em Animes e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s