Primeiras impressões – Maoyuu Maou Yuusha


O que dizer do primeiro episódio de Maoyuu? Basicamente a mesma coisa que eu dizia antes do começo da temporada: tem um conceito interessante. E por enquanto, isso é tudo.

Não que episódio tenha sido muito ruim, eu só não acho que foi realmente interessante. Foi basicamente que nem o episódio 4 de Shin Sekai Yori, muita entrega de informação, que servem mais para apresentar a ambientação do que qualquer outra coisa. Vários pontos positivos nesse aspecto: primeiro, o tamanho do mundo em que a série se passa, vasto, do jeito que fantasias deveriam ser. A presença de vários reinos/países/regiões diferentes abre espaço para politicagem e manobras estratégicas, que é uma coisa que não se vê todo dia em anime.


Também, esse primeiro episódio mostrou vários personagens, cada um tendo suas circunstâncias. Se o anime vai ter tempo para dar o foco necessário em cada um deles, ou se eles vão ser simplismente “carne para canhão”, para inflar o elenco, é um mistério, afinal o anime terá apenas 12 episódios, e desenvolver tanto os personagens quanto o enredo em tão pouco tempo(ainda mais sendo que a fonte também ainda está em andamento) é uma tarefa extremamente impossível.

Os desconfortos foram muitos. Pra começar, as insinuações sexuais.e a presença irritante do fanservice Aquele tipo de comédia(que eu prefiro chamar de “comédia”) que existe aos montes, como em Zero no Tsukaima e similares. Sinceramente pessoal, ninguém aqui tem mais 13 anos pra achar esse tipo de coisa engraçada. É uma coisa que acaba não fazendo o menor sentido, porque você tem um cara que atravessou todo tipo de adversidade e conseguiu chegar no castelo do inimigo(ou seja, ele é praticamente um Mário), mas fica todo desconfrtável ao lidar com uma mulher.


Os personagens também são desagradáveis. Como eu falei, desenvolver tanto o elenco como a estória em tão pouco tempo vai ser praticamente impossível, e o que será possível fazer com esse casal de protagonistas com uma química tão fraca? Eu gostaria mais deles se o anime não forçasse essa relação logo de cara, que fosse tipo Spice and Wolf, duas pessoas que se juntam por um objetivo em comum, e que ao longo do tempo o romance entre eles vai florescendo e crescendo, em vez de forçar uma relação logo de cara.

Se serve como consolo, eu gostei muito da Ami Koshimizu como a Rainha Demônio. Voz e performance muito boas.

Resumindo, eu acredito que eu infelizmente perdi a fé em Maoyuu. Era o anime que eu mais esperava dessa nova temporada, mas eu já avisava: pode ser tanto algo bom quanto um grande fracasso. Os personagens se mostraram fracos, com personalidades convenientes ao enredo, o que é uma pena, porque com o tamanho da ambientação e com um enredo interessante como esse Maoyuu poderia ser algo verdadeiramente épico. Agora que os piores temores foram confirmados, nem tanto.

Anúncios
Esse post foi publicado em Primeiras impressões e marcado , . Guardar link permanente.

3 respostas para Primeiras impressões – Maoyuu Maou Yuusha

  1. Galactus disse:

    Olha eu aqui de novo
    É, como vc disse, tb estava colocando uma esperança nesse anime, parecia interessante, nao muito complexo, porem interessante, mas o primeiro episódio acabou com toda minha esperança(quem sabe se vc me disser q o romance perdeu o foco, nos próximos episódios eu volte a vê-lo), esses romances sem sentido(pessoas que amam as outras sem nem ter visto oO ?????) não me agradam. Porem nao foi ruim ter o assistido, por causa dele vim ler sua crítica, e acabei ficando curioso por spice and wolf citado acima, e valeu a pena, mesmo eu sendo fã de ficção cientifica e coisas que tendem pro lado filosófico, eu até gosto de dramas e romances interessantes. Pois me pareceu q o foco de spice and wolf sempre foi esse, o romance, q evoluía gradativamente, mas sua estória paralela(q não parecia paralela) como a aula de introdução a economia, os planos sempre bem elaborados, e mostrar a verdadeira cara da igreja foi tão bom qnt, ou até melhor do q o romance q surgia a cada episódio.
    OBS: Sempre esperando ansioso por comentários ou críticas (ou até simples citações) de “animes que ninguém nunca ouviu falar ou ninguém se importa”.

  2. Nandoskennedy disse:

    Eu realmente não entendo a cabeça dos japoneses… Onde um guerreiro altamente dotado das mais incríveis habilidades, q foi SOZINHO até um castelo de demônios sem dificuldade, e q já participou das mais perigosas batalhas, ficaria desconfortável com uma mulher (e q mulher, diga-se de passagem)?!!!! Um cara como esse teria comido milhares de mulheres ou no mínimo saberia lidar com elas… Concordo com a análise, esse papo de fanservice é muito chato, eu sou homem mas nem por isso fico alegre SÓ por ver uns peitos balançando e umas calcinhas… Esse Yushaa é um virjão, o q é ridículo para um cara popular como ele.

  3. Gustavo Sferkarri disse:

    Concordo com alguns dos pontos expostos, mas renego essa crítica, pelos seguintes motivos:
    – Começando pelo enredo, acredito ser a perfeita união de elementos pesados – marca da geopolítica – e elementos de comédias – marcados pelos momentos de descontração. Considerando o limite de episódios, uma explicação geopolítica aprofundada criaria episódios massantes – reduzindo o público.
    – Sobre os problemas do personagem principal com mulheres, não faltam exemplos de guerreiros históricos e valorosos que enfrentavam problemas em demonstrar sentimentos – sem considerar os fatores culturais do Japão. No entanto, concordo que a introdução entre os dois personagens foi rápida demais.
    – Sobre o humor, realmente é forçado – como era esperado. Considerando a necessidade de ganhos, as dificuldades de propulsionar uma ideia e público, apostar nesse tipo de gracejo é plenamente compreensível. Muitas crianças de 13 anos, assim como senhores de 30, costumam achar divertido e aprazível assistir às descobertas dos personagens – que costumam ser extremamente idiotas.
    Portanto, discordando dos demais comentários, indicarei essa obra. Certamente está distante de grandes obras das animações, mas consegue entreter e ensinar conhecimentos básicos de geopolítica e história – elementos congruentes entre a história do Japão Feudal e Europa Renascentista. O romance ou humor estão distantes da perfeição, mas possuem seus méritos e elementos interessantes – realmente achei interessante a maneira que a Rainha Demônio recebeu o garoto.

    AVALIAÇÃO – 7/10

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s